25Aug 2016

The Hawley Arms

Posted by at 7:00 am in Londres, Pubs & Restaurantes

Hoje começa uma novidade aqui no blog: durante 9 meses, todo dia 25 é dia de conhecer um restaurante novo do nosso guia ‘100 Restaurantes em Londres‘, com posts escritos pelos meus colegas blogueiros e co-autores do livro! Hoje o post é do Rafa Maciel, que por coincidência vai apresentar um pub que eu gosto bastante :-)

Que a rainha de Camden Town, Amy Winehouse, frequentava este pub, isto muita gente já sabe. Mas o que pouca gente sabe é que a comida deste lugar é uma delícia. Alguns dias são servidas especialidades da casa que passam bem longe do clássico (porém gostoso) fish & chips, como Scotch Egg, Sausage rolls e aos domingos o clássico Sunday Roast. Se estiver passando só pra uma boquinha rápida vale a pena pedir uma porção de batata frita – que vem dentro de um copo de pint. Ou simplesmente a pint of chips.

HawleyArms4HawleyArms5

O Hawley Arms fica pertinho do mercado de Camden Town e é uma ótima opção se você não quer comer no mercado, se quer visitar algum pub bacana, ou se prefere almoçar saboreando uma ale inglesa.

É importante tomar cuidado com a hora que você for comer, porque a cozinha do pub fecha às 20h, e se for na sexta e no sábado, às 18h. Então pra não ficar na vontade é melhor se programar direitinho. Minha sugestão é o pulled pork bap com bacon, queijo, cebola frita e molho de maçã. #águanaboca O preço é moderado: esta sugestão custa £11. Pra ver o menu completo atualizado clique aqui.

Para conhecer outros 99 restaurantes em Londres, baixe agora o guia ‘100 Restaurantes em Londres’, é gratuito!

Por Rafa Maciel – guriinlondon.com

08Aug 2016

Encontrinho “100 Restaurantes em Londres”!

Posted by at 8:35 pm in Amigos, Blog, Pubs & Restaurantes

Semana passada aconteceu nosso encontro de blogueiros e leitores, organizado assim levemente no improviso no melhor jeito brasileiro de ser, para comemorar o lançamento do ebook ‘100 Restaurantes em Londres’. Engraçado que apesar de ter anunciado em todas redes sociais que íamos nos encontrar no pub e ter convidado todo mundo, eu estava com medinho que ninguém aparecesse e a gente sobrasse ahahah

IMG_7413Tina, Liliana, Karine, Paula, Helo, Eu, Rafa, Ana e Pedro!

Mas num é que os leitores/seguidores vieram?! <3 E olha, foi tão, mas TÃO legal que acho que precisamos repetir a dose pelo menos a cada 6 meses!

IMG_7414

É sempre difícil conciliar todas as agendas e foi praticamente um milagre termos conseguido reunir quase todos blogueiros que participaram do projeto – ênfase no quase, porque a Natasha e o João estão morando em Curitiba e fizeram uma falta danada! Só que os dois estavam com a gente em álcool espírito, já que o encontrinho foi no The Draft House, um dos pubs indicados por eles no nosso guia (pra quem não sabe o casal do Pra Ver em Londres é mega entendido de cerveja e os dois criaram até um tour para fãs de cervejas artesanais que virou post aqui no blog).

Foram muitas gargalhadas, conversas, gente nova pra seguir no snapchat, abraços alegrinhos depois de algumas taças de vinho e por incrível que pareça quase nenhuma foto! ahaha tá vendo que blogueiros não são tão viciados em redes sociais assim? :-) Ainda bem que tínhamos a Carla Costelini lá para fazer uns registros, muito obrigada Carla!

Foi muito engraçado conversar com pessoas que sabiam altas coisas da minha vida (até chamavam Nic de “o boy” ahaha!) e eu nunca tinha visto, me senti A BLOGUEIRA FAMOSA – só que a blogueira famosa mais tímida do mundo ahahaha socorro! Brincadeiras à parte, estar ali cercada de velhos e novos amigos só me fez reforçar o sentimento de que essa aqui é a melhor parte de blogar:

IMG_7427IMG_7422

Fazer amizades sinceras e conhecer tanta gente legal, que provavelmente nunca teríamos encontrado se não fosse por esse mundinho virtual. Agora me diz, quem também acha que nosso encontrinho devia virar um evento fixo no calendário londrino?! :D

04Aug 2016

São Paulo para iniciantes: Parque do Ibirapuera, Vila Madalena e Oscar Freire

Posted by at 10:21 pm in Brasil, São Paulo, Viagens

SaoPaulo8Achamos até um pedacinho de Londres na capital paulista <3

Continuando a série “lugares que mais amei em São Paulo” (clique aqui para ler o primeiro post!) com um passeio delicioso pelo Parque do Ibirapuera! O mais importante parque de São Paulo nos conquistou assim que colocamos os pés lá, e não foi surpresa nenhuma descobrir que em 2015 ele foi eleito o melhor parque urbano do mundo pelo jornal britânico The Guardian.

Sim, desbancou parque super tradicionais na França, Inglaterra, Espanha, Itália, Estados Unidos…

SaoPaulo9

O parque foi pensado para comemorar o aniversário de 400 anos de São Paulo, teve seu projeto arquitetônico assinado por Niemeyer e projeto paisagístico feito por Burle Marx, que dentre outras coisas era conhecido por usar a vegetação local em vez de simular estilos de jardins de outros países. Essa parceria de anos rendeu obras e casas belíssimas pelo Brasil, mas nada com a magnitude do Parque do Ibirapuera – e na minha opinião, o que torna o parque tão interessante é justamente seu lado arquitetônico.

Porque pensa bem: laguinhos, árvores, trilhas e gramado são o que todo mundo já espera de um parque… Inovador mesmo é trazer um pouco da cidade para dentro do espaço verde, o que Niemeyer e Burle Marx conseguiram fazer com maestria no projeto do Ibirapuera.

DSC_0248

Além de hectares e mais hectares de árvores, flores e campos, três lagos interligados, pistas de corrida e locais de descanso, o parque conta com museus, auditórios, quadras, espaços para shows… Os espaços mais importantes são o Museu de Arte Moderna, o Museu de Arte Contemporânea, o Museu Afro Brasil (cujo edifício já abrigou a prefeitura da cidade), a Bienal e o Planetário, mas outras atrações incluem o Pavilhão Japonês (uma réplica do Palácio Katsura em Kyoto, que foi construída pelo governo japonês na época da inauguração do parque), o Jardim das Esculturas e a Marquise, paraíso dos skatistas e patinadores.

SaoPaulo10

Isso sem falar dos dois edifícios mais icônicos dentro do Ibirapuera: a Oca e o Auditório!

Esse pavilhão de concreto no formato de (como o nome já diz) uma oca recebe grandes exposições e eventos variados, e também já abrigou o Museu da Aeronáutica e Museu do Folclore. O nome oficial é Pavilhão Governador Lucas Nogueira Garcez, mas diz se não é muito mais bonitinho chamar de oca? rs

DSC_0375

Andando mais um pouquinho chegamos na cereja no topo do bolo do Ibirapuera: seu Auditório ridiculamente maravilhoso projetado por Niemeyer, que apesar de fazer parte do projeto original foi construído apenas em 2005. A forma simples triangular do edifício contrastando com a labareda vermelha é o que mais encanta nesse projeto, e o espaço é usado para apresentações tanto do lado de dentro quanto do lado de fora, graças à uma porta de 20 metros (!!!) que possibilita a abertura do palco para o público externo pela parte de trás.

E esse é outro ponto da filosofia do parque que eu também adorei, a preocupação constante em tornar o espaço acessível a todos. A maioria das atrações é gratuita ou bem barata, sempre tem eventos gratuitos acontecendo por lá, dá pra chegar tranquilamente de transporte público (nós fomos andando da estação Brigadeiro, na Paulista)… Pra ser perfeito só faltavam barraquinhas espalhadas pelo parque vendendo comida, então não esqueça de levar lanches se quiser passar o dia por lá! ;)

DSC_0343DSC_0325

Para acessar a programação completa visite o site do Parque Ibirapuera Conservação, uma organização comunitária sem fins lucrativos que se dedica a promover melhorias no parque. E uma dica para quem estiver por São Paulo entre agosto e outubro: a badalada exposição de Lego “Art of the Brick”, que já rodou o mundo inteiro (e a Lili visitou aqui em Londres em 2014), vai estar na Oca!

Depois de passar bem menos tempo do que gostaríamos no Ibirapuera, fomos visitar outro lugar que eu estava curiosa pra conhecer: a Vila Madalena, mais precisamente o Beco do Batman! ahaha

DSC_0403DSC_0444

O que começou com apenas um desenho do homem-morcego lá na década de 80, com o passar dos anos foi virando point oficial de artistas, grafiteiros, designers e apreciadores de arte urbana. O espaço nas paredes é bem disputado e os desenhos foram invadindo até o chão – vale a visita se assim como eu você também adora um mural! :-)

SaoPaulo11

Agora quem adivinha o que aconteceu depois?! Estamos lá empolgadas, tirando foto de todos os desenhos e disputando o espaço na frente dos murais com alguns gringos que também posavam para fotos, quando de repente viro a esquina e dou de cara com uma loja. Da Farm. Em liquidação.

Não preciso dizer que não deu muito certo, né?! ahaha ficamos por lá um bom tempo e a vontade era de morar dentro da Farm da Vila Madalena, que loja linda! Ainda mais com a sessão do outlet no primeiro andar, conseguimos achar peças incríveis e ai, saudades eternas, Farm <3

DSC_0447

Por conta dessa parada estratégica e de um compromisso que a gente tinha à noite não deu pra ver quase nada da Vila Madalena, mas as poucas lojinhas, cafés e restaurantes que vimos deixaram um gostinho de quero mais! Ah, um bônus nas redondezas se você também curtir coisas um pouco inusitadas é o Cemitério São Paulo Cardeal (sim, Nic me acha louca), lá dentro tem mausoléus belíssimos.

Pra fechar o post, que tal um turismo de compras na famosa Oscar Freire? Eu sempre ouvi falar da rua como o reduto das socialites e achava que nada ali caberia no meu bolso, mas me surpreendi e indico o passeio até para quem não quer comprar nada. Em alguns pontos também tem street art, tem lojas para todos os bolsos, restaurantes fofos, gente andando na rua…

IMG_6013IMG_6017

Não é a parte mais popular de São Paulo, mas quer saber? Adorei a Oscar Freire! Lembra a Via Primavera em Medellín, onde também achei delicioso passear, fazer um pouco de people watching, tomar um café e me surpreender com as lojas conceito super criativas.

DSC_0052

Como a loja da Havaianas! Ali foi amor à primeira vista e nessas duas vezes que estive em São Paulo acho que acabei indo lá umas 4 vezes, algumas à trabalho e outras nem tanto :-) ahaha

SaoPaulo12

A loja é gigante, consegue traduzir perfeitamente o espírito brasileiro e para a minha surpresa, além de ter bem mais variedade de modelos e coleções, os preços são geralmente mais baixos do que nas outras lojas. Outras duas lojas que viraram parada obrigatória quando passo por lá são a Chilli Beans (como resistir aos óculos deles?!) e a Galeria Melissa, e dessa última vez conheci a loja da Hope, uma das lojas de lingerie mais lindas e modernas que já visitei.

IMG_6024IMG_6043A Galeria Melissa de São Paulo também tinha uma piscina de bolinhas! :-)

Acho que por isso amei tanto a Oscar Freire, ela concentra todas as lojas que amo visitar quando estou no Brasil num espaço aberto e seguro, sem aquela chatice que é estar trancada num shopping sem ver se é dia ou noite sabe? E antes que eu esqueça, depois de falar da Farm, Melissa, Havaianas e Chilli Beans eu não posso deixar de incluir uma menção honrosa à Granado e seus sabonetes super-hiper-mega-ultra cheirosos. Quando nosso estoque acaba sempre nos perguntamos por que não trouxemos mais 5, 15 ou 50… Um dia a gente aprende!

02Aug 2016

MEATliquor (ou O Melhor Hambúrguer de Londres)

Posted by at 10:00 am in Londres, Pubs & Restaurantes

IMG_4526

Poucas coisas na vida me deixam mais feliz do que comer um bom hambúrguer. O pão crocante, o queijo derretendo, a carne suculenta levemente vermelha, pedaços de alface crocante acompanhados de cebola e picles para dar o toque final… Aquele hambúrguer que você come sorrindo de orelha a orelha e não quer que acabe nunca, sabe como é?

É claro que com toda essa obsessão pelo prato eu tenho uma lista das minhas burger joints preferidas em Londres e qualquer dia posso até fazer um post sobre isso. Mas embora o segundo e terceiro lugar vivam mudando conforme conheço novos lugares ou volto nos favoritos, aqui vai um spoiler: no topo dessa lista há mais de 2 anos só dá o MEATliquor.

IMG_4546

Desde a primeira mordida que eu dei no Dead Hippie, o carro chefe da rede de restaurantes, é com ele que eu comparo qualquer outro hambúrguer que eu como na vida, e sim, virei aquela pessoa irritante que sempre quer voltar no mesmo lugar e comer a mesma coisa ahaha Virou até uma piada interna aqui em casa: 90% das vezes que Nic pergunta “o que você quer comer?”, eu abro um sorriso, respondo “adivinha” e ele fica chocado como eu ainda não enjoei desse tal de Dead Hippie. Mas não tem como enjoar minha gente, o treco é a perfeição em forma de colesterol alto! :-)

Na minha opinião a beleza está em conseguir fazer um hambúrguer perfeito sem apelar para ingredientes aleatórios (estou falando com você, abacaxi e/ou abacate), e o MEATliquor poderia dar aulas disso!

meatliquor3£8.75 de pura deliciosidade escorrendo pela sua mão

O Dead Hippie é basicamente o mais simples do mundo, aquele que você pode pedir cantando “dois hambúrgueres, alface, queijo, molho especial, cebola, picles num pão com gergelim Big Mac” só que elevado à milésima potência, usando os melhores ingredientes e com a carne grelhada na mostarda. E ah, eu não sei o que eles colocam nesse tal molho secreto do Dead Hippie mas deve ser drogas, só isso explica! ahaha

A rede começou como um humilde food truck em 2011, as filas foram crescendo cada vez mais e o sucesso foi tão grande que em menos de 5 anos já são 10 restaurantes espalhados por Londres, Brighton, Bristol, Leeds e até Cingapura! Alguém vai me julgar se eu disser que quero visitar todos?!

IMG_6264IMG_6388

Geralmente vamos no primeiro restaurante, por trás da Oxford Street e pertinho da Debenhams, virou tradição levar nossas visitas lá e todo mundo se apaixona pela comida. Adoro o ambiente escuro com paredes rabiscadas, a música alta, o cardápio de drinks generoso (a pista está no liquor, o forte dessa filial também é a birita!), a vibe cool e informal (esqueça o prato e se agarre com o papel toalha!)… O restaurante tem um ar de balada rock’n’roll misturado com filme de serial killer e uma leve fixação com o capeta, mas justamente por essa personalidade forte não é o tipo de lugar onde dá pra ficar conversando por horas, a não ser que você não se importe de gritar ou fazer mímica.

Também já fomos no MEATmarket em Covent Garden, mas o prêmio de filial mais incrível vai pro MEATmission em Hoxton!

IMG_6351IMG_6368

Quando saímos do Queen of Hoxton há algumas semanas procurando um lugar pra jantar, eu lembrei que tinha a possibilidade de um Dead Hippie ali por perto e levei a Lili, Karine e Thaís pra provar do meu vício. Mega apreensiva, claro, depois de proclamar que esse era “o melhor hambúrguer de Londres e quem sabe do mundo inteiro” imagina se chegamos lá e elas odeiam o dito cujo?! ahaha Mas a operação foi um sucesso, converti todas as três e de quebra realizei um sonho antigo: usar a cabine de fotos! :-)

O MEATmission foi construído numa antiga capela/centro de missionários (por isso o missão no nome), e a decoração segue a mesma linha subversiva, com cores fortes e cheio de referências que fariam qualquer beata ter um ataque cardíaco.

IMG_6389

Eu adorei o vitral do teto ultra-mega-hiper instagramável, os ambientes diferentes e o fato do MEATmission aceitar reservas, agora não preciso mais ficar esperando na fila como sempre acontece no MEATliquor.

Admito que virou meu favorito e estou em apuros porque ele fica a apenas 3 minutos do trabalho!

MEATmission
15 Hoxton Market, N1 6HG
Metrô: Old Street
Para outros endereços visite o site do MEATliquor

31Jul 2016

São Paulo para iniciantes

Posted by at 7:00 am in Brasil, São Paulo, Viagens

Na primeira vez que estive em São Paulo, em 2011, a única coisa que eu conheci foi a fila pro show do U2 dando voltas nas calçadas do Morumbi. Demorei quatro anos para voltar à cidade, dessa vez como jornalista a convite do Salão Moda Brasil, e desde então tive a sorte de ser chamada novamente para passar mais uns dias em São Paulo!

IMG_6138

Sempre trabalhando bastante, claro, mas depois da feira a gente sempre acha um tempinho pra jantar num lugar legal, ou estica a viagem por uns dias e vai turistar, né? :-) Como disse no post do nosso save the date, esse ano quando a feira terminou eu fui para Recife e não deu tempo de aproveitar São Paulo, então nesses posts vou misturar coisas que fiz nas duas viagens (sim, esse post está no rascunho há mais de um ano, oh céus!).

Começando a lista de coisas mais legais que fiz em São Paulo com… Passeio pelo centro!

SaoPaulo_2SaoPaulo_1

Não adianta, em qualquer metrópole do mundo nada supera conhecer o centrão da cidade, as igrejas, o burburinho do comércio popular, os prédios antigos… Ano passado estendi a viagem por uns dias e explorei os principais pontos turísticos com Ray, que foi me encontrar em São Paulo para matarmos a saudade! <3

Tiramos uma manhã para fazer esse roteiro do 360Meridianos, mas como somos turistas medrosas praticamente não tenho fotos boas. Foram tantas recomendações de “cuidado, não leve isso, não vá em tal lugar, não saia com a câmera” (geralmente ditas por quem nem conhece SP) que a gente ficou meio paranóica sem querer tirar o celular da bolsa no centro da cidade.

Começamos pelo bairro da Liberdade, o reduto da comunidade japonesa paulistana, visitando umas lojinhas, achando graça naquela mistura do Brasil com o Japão e principalmente…

SaoPaulo

Procurando Melona! ahaha mais clichê impossível! O tal picolé de melão (que nem japonês é, aparentemente vem da Coréia do Sul) deve ser o produto que deixou a Liberdade mais famosa virtualmente em outros estados brasileiros. Ok, talvez ele perca para aquelas paletas de sombras com um milhão de cores que eram vendidas nas lojas de cosméticos, quem lembra? Ah, a internet dos anos 2000…

Eu lembro que quando era mais nova e acompanhava blogs de meninas de São Paulo, todos naquele estilo querido diário que a gente AMAVA, ficava morrendo de curiosidade quando elas iam na Liberdade e compravam Melona… Qual seria o gosto de um picolé verde de melão minha gente?! ahaha depois de provar posso dizer que sim, o picolé é mega artificial e de fruta não tem nada, mas é uma delícia e se tivesse uma bolsa térmica teria comprado mais 10.

SaoPaulo_3

De lá andamos até a Sé, onde fica o Marco Zero paulistano, para visitar a imponente Catedral Metropolitana de São Paulo. Construída no século XX inspirada nas catedrais medievais européias, é bem curioso ver uma igreja relativamente nova com mosaicos, esculturas e um interior com uma aparência tão antiga… Vale a visita!

No local onde a catedral foi construída já existiu uma igreja barroca, que por sua vez foi erguida para substituir a igreja matriz da pequena vila de São Paulo de Piratininga, demolida no século XVIII. Em 1911 a igreja que lá estava foi demolida para a construção da Catedral da Sé, que foi inaugurada a tempo de comemorar o aniversário de 400 anos da cidade em 1954.

SaoPaulo2

Continuamos nosso passeio no Pátio do Colégio (ou Pateo do Collegio), que marca o local onde a cidade nasceu. Foi ali que em 1554 o Padre José Anchieta iniciou a catequização dos índios, numa cabana coberta com folhas de palmeira que depois foi evoluindo para um colégio com uma igreja anexa feitos de taipa, e passou por várias reformas até chegar ao formato atual.

O prédio também foi sede do governo por quase dois séculos e hoje em dia abriga o Museu Anchieta, focado na arte sacra, fundação de São Paulo e trajetória dos jesuítas, além de uma biblioteca, a igreja e um pátio fofo com um café.

SaoPaulo3Espaço Bovespa, a icônica Torre Banespa e o Teatro Municipal de São Paulo!

A próxima parada foi o Espaço Cultural Bovespa, onde dá para fazer uma visita guiada gratuita bem interessante para leigos em tudo que envolve a bolsa de valores. O local é um misto de museu com centro educativo e oferece palestras, simulação de compra e venda de ações, um cinema 3D e uma enxurrada de informações pros curiosos de plantão. Nós duas saímos de lá mega entendidas do assunto ;D

O Espaço Bovespa, também chamado de Espaço Raymundo Magliano Filho, funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 17h.

SaoPaulo4

Mas a maior surpresa da manhã definitivamente foi o Mosteiro de São Bento – eu sabia que era um dos lugares mais importantes de São Paulo mas não estava esperando uma beleza tão grande! Ficamos de queixo caído e com raiva por não ter levado a câmera no nosso passeio, tudo o que temos são fotos do celular que não fazem jus à beleza do interior da igreja…

O sítio histórico onde o mosteiro se encontra é o mais antigo da cidade a ser ocupado ininterruptamente, já que como mencionei antes o Pátio do Colégio passou por várias transformações inclusive na função do prédio. As terras foram doadas aos monges em 1600 e desde então o mosteiro teve que ser reconstruído quatro vezes – o mosteiro que vemos hoje foi consagrado em 1922 e o mais inusitado é que dá para fazer um brunch por lá! Segundo o site do Mosteiro, no último domingo de cada mês eles abrem as portas do refeitório para visitas, oferecendo comidinhas feitas na sua padaria e em parceria com chefs de São Paulo (visite o site do mosteiro para saber como agendar).

SaoPaulo5

Depois de uma breve olhada na 25 de Março, terminamos nosso passeio no Mercado Municipal comendo um delicioso pastel de bacalhau :-)

Já meu segundo passeio preferido em São Paulo eu tive que fazer sozinha: bater perna pela Avenida Paulista! Nessas duas últimas visitas fiquei hospedada no mesmo hotel colado na avenida, e aproveitei umas horas livre assim que cheguei para andar sem rumo por lá. Ver o movimento dos artistas e vendedores de rua, amigos andando de skate, famílias passeando… Apesar de ser um dos principais centros financeiros da capital (e do Brasil), a Paulista é ponto de encontro para gente de todas as idades, estilos e vindas dos quatro cantos da cidade.

É delicioso passear por lá, ver diferentes estilos de arranha-céus construídos ao longo das décadas, descobrir os grafites coloridos do Kobra, os cartazes misturando política com arte colados nas paredes, os poucos casarões que sobraram contrastando com toda aquela modernidade… E se deparar com o Parque Trianon, a única reserva de mata atlântica da região, bem ali no meio do burburinho do coração de São Paulo!

SaoPaulo6

Isso sem contar nele, o museu mais importante do Brasil a começar pelo seu prédio de uma beleza ímpar: o MASP! O edifício projetado por Lina Bo Bardi abriga desde 1968 a maior coleção de arte européia do hemisfério sul, com mais de 8 mil obras entre pinturas, esculturas, fotos etc. e claro, um acervo enorme de peças vindas da África, Ásia e Américas.

SaoPaulo7

São obras de Renoir, Bellini, Delacroix, Monet, El Greco, Rembrandt, Portinari, Van Gogh, e mais dezenas de nomes consagrados na história da arte mundial, assim como peças importantíssimas para a história do Brasil – pinturas do nordeste feitas por Frans Post no século XVII, esculturas de Aleijadinho e obras dos precursores do modernismo no Brasil. Vale os R$25 do ingresso e você com certeza vai passar algumas horas lá dentro :-)

O MASP está aberto de terça à domingo das 10 às 18h, fechando às 20h na quinta e tem entrada gratuita na terça. No próximo post: natureza, restaurantes e compras!