Um dia em Oxford

A primeira parada do intensivo Londres-para-turistas com meus pais foi, na verdade, fora de Londres. Nic e eu visitamos Oxford no começo de março com uns amigos dele, mas não deu pra ver quase nada porque o tempo estava horrível (todo mundo só queria ir de restaurantes, pra café, pra dentro de uma lojinha..) e algumas atrações estavam fechadas para turistas, pelo que entendemos por causa de eventos de formatura que estavam acontecendo naquele fim de semana. Tratamos imediatamente de marcar um retorno para quando meus pais chegassem, e dessa vez iríamos planejar tudo direitinho pra não ficar sem ver nada importante o que obviamente não funcionou 100%.

Oxford é um desses passeios bate-e-volta que dá pra fazer em um dia, e é um desses lugares onde a cidade é a própria atração – nada vai ser tão legal quanto simplesmente andar, descobrir os prédios da universidade (praticamente todo o centro, tanto as faculdades propriamente ditas como outros departamentos, os apartamentos pros estudantes etc), achar um jardim aqui, um museu ali.. A Universidade de Oxford é a mais antiga da Inglaterra, com registro de atividades no ano de 1096, e a cidade ainda conta com outras “coisas mais velhas”, como o Old Ashmolean Museum, que agora é o Museum of the History of Science, museu universitário mais antigo do mundo, além do Jardim Botânico mais antigo do Reino Unido.

A cidade foi apelidada “city of dreaming spires” por conta da elegância da arquitetura dos prédios da Universidade, e diz que dá pra ver  pelo menos um exemplar de cada período da arquitetura inglesa, desde a chegada dos saxões. É prato cheio pra quem gosta de e já estudou arquitetura (oi!) :)

COMO CHEGAR

Partindo de Londres, basta comprar com uma certa antecedência (se quiser algum desconto) e pegar o trem saindo de Paddington. O percurso dura a partir de 1h, dependendo se você escolhe uma rota com conexão ou não – no nosso caso custou £47 com o desconto do Group Booking para 4 pessoas, ida e volta, que poderia ter sido mais barato se tivéssemos feito troca de trem ou comprado umas semanas antes. A passagem não tem horário de volta, então pode pegar qualquer trem naquele mesmo dia, quando já estiver cansado de explorar a cidade :)

O QUE FAZER

Prepare as canelas que o dia vai ser de muita andança!

ASHMOLEAN MUSEUM

O “novo” Ashmolean Museum foi inaugurado em 1908, combinando as coleções da Universidade de Oxford e do Ashmolean original, que passou a ser o Museum of the History of Science. O acontecimento importante foi que lá vi minha primeira múmia :P (se não tiver com amnésia ahah, o blog vai me ajudar a lembrar mais das coisas #idosa). Não é um museu tão grande, dá pra visitar em uma ou duas horinhas se você não fizer questão de ver absolutamente tudo, e o foco é arte e arqueologia. Como em boa parte dos museus por aqui, a entrada é gratuita.

Destaques para a placa com escrita cuneiforme, e as múmias de animais na foto abaixo, que são de gatos, pássaros e uma cobra!

MUSEUM OF NATURAL HISTORY + PITT RIVERS MUSEUM

O primeiro está passando por uma restauração durante 2013, para nosso desgosto, mas ainda está aberto (?) porque é a única entrada para o Pitt Rivers Museum, na ala leste. Durante o percurso pra chegar no Pitt Rivers dá pra ver algumas partes da exposição nos corredores, então a visita não é de todo perdida (só não é nada comparado ao Natural History Museum de Londres, por exemplo!) e dá até pra ver alguns dinossauros para a felicidade do namorado.

Fomos ao Pitt Rivers por causa da lenda que diz que a loja de Olivaras e o Beco Diagonal foram inspirados na confusão-escura-porém-organizada do museu, admito. Não sei se preciso rever os filmes pela milésima vez ou se meus olhos não estavam tão bons, mas não achei tãããão parecido assim.. Agora, olhando as fotos no site oficial, eu acho parecido. Vai entender ¬¬”

Socializando com minha família peluda no Pitt Rivers coisas que o namorado faz :P

ONDE COMER – THE TURF TAVERN

Gostei bastante desse pub e me arrependi de não ter almoçado lá na primeira vez que fomos (nos levaram pra provar The Best Steak and Ale Pie Ever, e no final das contas a da Turf Tavern era bem melhor). Pequenininho, está aberto desde o século XIII e é onde Bill Clinton supostamente ia fumar um baseado escondido – informação dada pelo guia ehehe

Steak and Ale Pie pra ninguém botar defeito! E o bônus na foto abaixo, luta de espadas no pub durante o século XVII :)

THE EAGLE AND CHILD

Pub frequentado por C.S. Lewis, J.R.R. Tolkien e mais inúmeros escritores da época :) Não entramos mas vai ficar pra a próxima visita, nem que seja para tomar um chá e tirar umas fotos pro meu irmão que é fã de Tolkien.

THE GRAND CAFÉ

Entrando na lista só porque é supostamente o primeiro café da Inglaterra, tem uma seleção bem grande de cafés, chás, além do tradicional chá da tarde. Pedi um chocolate quente e um brownie e me arrependi, como a maioria das pessoas da mesa.. Então a dica é visitar o The Grand Café só para um café ou chá, e ficar longe das tortas lindas, porém sem graça.

As outras atrações ficam pra o próximo post: especial Harry Potter em Oxford – sim, meu fanatismo chega a esse nível! E finalizo o post com outras fotos inspiradoras tipo um cemitério (Freud explica?), e a Ponte Rialto de Oxford :)

RELATED POSTS