Conhecer a Islândia era um sonho antigo. Já faz alguns anos que eu e Nic ensaiamos fazer essa viagem, mas acabamos sempre adiando por um motivo ou outro… Até que no meio do ano passado, pesquisando destinos pra comemorar nosso primeiro aniversário de casamento, vi uma passagem barata pra Reykjavik e comprei sem pensar duas vezes. Visitar a Islândia no inverno não era exatamente nosso sonho, mas não dava pra deixar passar a chance de comemorar uma data especial conhecendo um lugar que a gente queria visitar há tanto tempo, né?

Tudo o que você precisa saber para planejar sua viagem para a Islândia no inverno: o que fazer, quanto custa e um roteiro de 3 dias com base em Reykjavik! #Islandia #Viagem

Tudo o que você precisa saber para planejar sua viagem para a Islândia no inverno: o que fazer, quanto custa e um roteiro de 3 dias com base em Reykjavik!

Voltamos do país há duas semanas, e estamos tão apaixonados por todos os lugares que visitamos que eu resolvi passar os posts da Islândia na frente dos outros 362917 no rascunho do blog e começar logo essa série. Confesso que está sendo MUITO difícil escrever sobre o país – eu sinceramente não encontro palavras pra descrever a grandiosidade daquele lugar, é o tipo de experiência que precisa ser vivida e não tem foto, vídeo ou relato que chegue perto de explicar a magia desse lugar…

Como planejar uma viagem para a Islândia no inverno - Sete Mil Km

Infelizmente foi uma viagem curta, apenas um final de semana prolongado (fomos no sábado e voltamos na terça), mas foi o suficiente pra constatar como esse país é incrível e já começar a fazer planos pra voltar!!

Islândia no inverno: vale a pena?

Quero começar o post com o comentário que mais ouvi quando dizia às pessoas que estava indo pra Islândia no primeiro final de semana do ano: O QUE VOCÊS VÃO FAZER LÁ NO INVERNO???

Muita gente acha que vai congelar se visitar a Islândia no inverno, e basta procurar o país num globo (dica: procure no Oceano Atlântico e vá subindo até quase não poder mais!) pra muita gente já desistir da viagem. Mas apesar de fazer fronteira com o Círculo Polar Ártico e toda aquela parte do mundo que aparece sempre branquinha nos mapas, a Islândia tem um inverno bem ameno.

Reserve aqui o seu hotel em Reykjavik ou pesquise outras cidades no banner:



Booking.com

Leia todos os posts sobre a Islândia:

A temperatura na metade sul do país gira em torno de 0°C durante o inverno, e varia muito pouco ao longo do ano (no auge do verão a temperatura média fica por volta de 12°C!). Claro que no norte do país, nas áreas mais elevadas e com o vento forte a sensação térmica é menor, mas de modo geral não precisa se apavorar nem comprar roupas dignas de uma subida ao Everest pra visitar a Islândia no inverno.

Então eu vou ver a aurora boreal?

A maioria dos turistas que visita o país no inverno está interessada em uma coisa: ver a aurora boral. Também era o nosso caso, mas como sabia que as chances seriam bem baixas (afinal muitas estrelas precisam se alinhar pra que você consiga ver o espetáculo!) eu planejei a viagem de modo que ver a aurora fosse apenas a cereja no topo do bolo, e não o motivo principal da viagem.

Apesar de ser inverno e ter muuuuitas horas de escuridão, janeiro não é um bom mês pra ver a aurora porque chove muito, o céu fica coberto por nuvens, pode estar nevando… Nosso tour de caça à aurora boreal foi cancelado três noites seguidas por causa do tempo nublado, então tente tratar a aurora como apenas um extra para não voltar pra casa desapontado!

É claro que dá uma raivinha quando você volta de viagem e vê que três dias depois tinha gente conseguindo ver a aurora por lá, mas não dá pra planejar como a natureza vai se comportar na sua viagem – e agora temos ainda mais um motivo pra voltar ;)

Outra pergunta que também me fizeram muito foi:

Se não ver a aurora boreal, eu vou fazer o quê na Islândia?

Minha resposta é: pisar numa geleira? Ver cachoeiras congeladas? Andar por uma praia de areia negra? Ver água fervente em erupção saindo diretamente do centro da terra? Visitar o local onde foi criado o primeiro parlamento do mundo? Andar entre duas placas tectônicas? Ver os cavalos mais fofos do universo? Fotografar uma paisagem que parece de outro planeta?

Sério, na Islândia o que não faltam são lugares deslumbrantes que merecem sua visita, seja qual for a época do ano. Não deixe as noites longas, a chuva e essa ideia de que só dá pra ser feliz no verão te impedirem de marcar uma viagem pra Islândia no auge do inverno… Eu garanto que, faça chuva ou faça sol, vai ser uma das melhores viagens da sua vida!  :-)

Como planejar uma viagem pra Islândia no inverno

Morando em Londres eu reconheço que estamos bem mal acostumados quando o assunto são voos: o que não faltam são opções de companhia aéreas com preços pra todos os orçamentos, e a Islândia finalmente está na lista de destinos. Até uns anos atrás o país era um destino “exótico” e poucas companhias voavam para a capital Reykjavik, mas hoje em dia até as low costs Easyjet e WOW Air tem voos diretos pra Islândia diariamente… Nós pagamos £56 por pessoa (comprando com 5 meses de antecedência), e voamos de Easyjet numa tarde de sábado.

Mas se você também mora na Europa e comprar as passagens só pelo preço baixo, vai ter uma grande surpresa quando começar a planejar a viagem e ler mais sobre o país: a Islândia é muito, muito cara! Arrisco dizer que a única coisa “barata” de uma viagem pra lá vai ser a passagem (se você voar de low cost) e a água, que é super limpa e pode ser bebida diretamente da torneira no país inteiro.

Todo o resto vai doer no bolso, mas com um bom planejamento dá pra amenizar o choque. No nosso caso isso significou escolher um Airbnb em vez de hotel e levar algumas comidas na mala pra não ter que ficar comendo fora o tempo todo, mas acabamos gastando mais do que o previsto com os tours que fizemos.

Como planejar uma viagem para a Islândia no inverno - Sete Mil Km

Dirigir no inverno x pagar por tours

Na verdade essa é a principal decisão que você precisa tomar antes de planejar uma viagem pra Islândia no inverno: dirigir ou não dirigir? No verão a escolha seria muito fácil: alugar um carro e fazer tudo por conta própria, claro! Eu quero muito fazer uma viagem circulando o país inteiro numa motorhome, como a Mila, o casal do Nerds Viajantes e a Adriana já fizeram, mas no inverno temos que levar em consideração as poucas horas de luz, a baixa visibilidade, chance de nevascas, estradas fechadas, o vento mega forte que vem do nada e pode até carregar um carro

As duas opções tem prós e contras, e claro que dirigir oferece bem mais flexibilidade de parar pelo caminho e fazer os seus próprios horários, mas depois de ler muito decidimos fazer nossos passeios com agências de turismo. Logo no primeiro tour já vi como essa foi a melhor decisão que tomamos na viagem inteira: o sol nascia mais ou menos às 11h e escurecia logo depois das 16h, então boa parte do trajeto era feito no escuro, na chuva, com neve na estrada… Se você também estiver indo no auge do inverno, na minha opinião não vale a pena alugar um carro.

Pode até sair mais barato (e nem tanto assim, já que o aluguel, seguro e gasolina são caríssimos!), mas a tensão de dirigir nessas condições vai ser tão grande que a economia não compensa. E a principal vantagem do carro, poder ir parando quando der na telha, também não aplica em janeiro por causa das poucas horas de luz: se você não focar muito bem no que quer ver e esquecer as paradas pelo caminho, o sol vai ser pôr antes de você ver tudo que estava planejado para aquele dia. Isso sem falar na chance de algo dar muito errado como no vídeo da amiguinha, né?! Reserve um tour e relaxe vendo a paisagem enquanto um guia experiente dirige pra você ;)

Se nós tivéssemos mais de uma semana no país, muita experiência pra dirigir na nevasca e no escuro, e não fôssemos usar Reykjavik como base, eu poderia ter decidido alugar um carro. Mas se você tem pouco tempo e a intenção é aproveitar o dia pra conhecer as atrações e dormir na capital, eu recomendo os tours sem pensar duas vezes!

Nosso roteiro: 3 noites na Islândia no inverno

  • Dia 1 – Pousamos em Keflavik no sábado à noite, então aproveitamos pra dar uma volta de reconhecimento por Reykjavik, comprar umas coisas no supermercado e preparar lanches pro dia seguinte;
  • Dia 2 – Tour pelo Círculo Dourado (Parque Nacional Þingvellir, área geotermal Haukadalur, cachoeira Gullfoss e cratera vulcânica Kerið);
  • Dia 3 – Tour pelo sul do país (cachoeiras Seljalandsfoss e Skogafoss, geleira Solheimajökull, praia de areia negra em Vik e praia Reynisfjara), seguido de uma passada pra conhecer a casa de shows Harpa e jantar em Reykjavik;
  • Dia 4 – Blue Lagoon e volta pra Londres.

Se tivesse mais alguns dias teria encaixado uma ida a Jökulsárlón e um tour pelas cavernas de gelo em Vatnajökull – eles ficam mais afastados, e por causa das poucas horas de luz eu achei que não valia a pena ver todos os outros lugares na correria só pra incluir esses dois no roteiro… Mais uma desculpa pra voltar pra Islândia o mais breve possível! :-)

Quanto custa uma viagem para a Islândia?

Quem acompanha o blog há mais tempo sabe que eu nunca detalho o preço das coisas por aqui, mas para a Islândia achei importante abrir uma exceção. Todo mundo que escreve sobre o país fala que é caro, mas pouca gente realmente diz o quanto cada coisa custa e o valor total da viagem… Eu espero que ajude se você também estiver sonhando com uma viagem pra lá e sem saber exatamente quanto vai gastar – e como sempre, pode perguntar nos comentários se ainda tiver alguma dúvida :-)

  • Passagem – £112 (duas pessoas voando de Easyjet)
  • Hospedagem – £282 (três noites num studio)
  • Tours – £126 (Círculo Dourado) + £194 (costa sul)
  • Transporte de/para o aeroporto – £208 (inclui entrada na Blue Lagoon)
  • Comida, cafés, souvenirs etc – £280

Total: £1202 (ou R$ 5367 na cotação de hoje)

A Islândia é um dos poucos países onde não dá pra fazer milagre: alta estação, baixa estação, alugando carro, fazendo tour, comendo fora ou não, essa sempre vai ser uma viagem cara e não tem pra onde correr. Admito que deu uma dorzinha no coração somar isso tudo e pensar que foram apenas 3 noites, mas quer saber? Viajar é o tipo de coisa que vale cada centavinho investido, e se for pra se sentir em um outro planeta vale mais ainda!

SaveSave

SaveSave

SaveSaveSaveSaveSaveSave

SaveSaveSaveSave

SaveSave

SaveSave

SaveSave

RELATED POSTS