Região Administrativa Especial de Hong Kong

A primeira dúvida que surge quando planejamos uma viagem para Hong Kong é: estou indo pra China? Colônia britânica até 1997, Hong Kong é hoje uma Região Administrativa Especial (RAE) da República Popular da China, e por causa dessa autonomia as coisas em Hong Kong funcionam de forma bem diferente.

A começar pelo visto – brasileiros não precisam de visto para entrar em Hong Kong (teoricamente precisa do certificado de vacinação de febre amarela, mas eu não tinha e na imigração não pediram nada), ao contrário do restante da China. E sendo um dos principais centros financeiros do mundo também dá pra imaginar que Hong Kong não é nem um pouco socialista, né?

Hong Kong

Manter a liberdade do mercado e independência política por 50 anos foi um dos pré-requisitos para a devolução de Hong Kong à China, e quando a “cidade” voltar a fazer 100% parte da China, em 2047, ninguém sabe exatamente o que vai acontecer. A China também possui uma outra RAE, Macau, que era colônia de Portugal e também usufrui de um alto grau de autonomia graças a um acordo similar ao de Hong Kong, que entrou em vigor em 1999.

É estranho que um mesmo país tenha dois sistemas tão distintos, e por causa da liberdade oferecida além da fronteira os chineses com uma melhor condição financeira fazem a festa, investem em imóveis e abrem empresas em Hong Kong, onde estão “protegidos” do governo socialista chinês. Como mencionei no meu primeiro post sobre Hong Kong, a cidade é uma junção muito louca do oriente com o ocidente – tem todo o “exotismo” que você imagina quando pensa na Ásia, mas também tem muitos letreiros de neon, ruas limpíssimas, prédios futuristas de cair o queixo e todo conforto que uma grande metrópole mundial oferece, como wi-fi por toda parte e uma rede de transporte público de fazer inveja!

Mapa Hong Kong

A região administrativa especial de Hong Kong é na verdade um arquipélago, que fica coladinho na China continental e é composto por mais de 260 ilhas (!). Apesar de ter pouco mais de mil quilômetros quadrados, a população de mais de 7 milhões de pessoas faz de Hong Kong um dos territórios mais densamente povoados do mundo, e toda essa falta de espaço faz com que a cidade precise crescer cada vez mais para cima.

Eu achava que Hong Kong seria meio claustrofóbico – na teoria são 6 mil pessoas por quilômetro quadrado, mas em algumas áreas o número passa dos 120 mil! – mas me surpreendi porque em momento algum me senti numa lata de sardinha. Estar perto da água e cercada por tanto verde também ajuda (ao contrário do que muita gente pensa Hong Kong não é uma selva de pedras), já que cerca de 60% de seu território é composto por reservas naturais – o que deixa ainda menos espaço pra aqueles 7 milhões de pessoas, é verdade, mas proporciona uma experiência e qualidade de vida muito melhor para quem mora/passeia por lá.

Hong Kong

As principais atrações turísticas se concentram em três áreas: na península de Kowloon e nas ilhas de Hong Kong e Lantau (onde fica o Buda gigante, que infelizmente não deu tempo de visitar). Nos próximos posts vou falar sobre cada uma delas e recomendar os lugares que visitamos em cada região – confesso que já estou com vontade de comprar uma passagem pra explorar o que ficou faltando! :-)

  • Vai viajar? Reserve seu hotel no Booking.com usando o link ou banner do blog. Além de oferecer segurança, super promoções e a opção de cancelamento gratuito, você ainda me ajuda a manter o Sete Mil Km no ar sem pagar nada por isso. Muito obrigada! :-)
  • Me siga nas redes sociais para acompanhar todas as viagens e dicas em tempo real: InstagramYouTubeSnapchatFacebook e Twitter. Também compartilho muita inspiração de viagens que fiz e quero fazer no Pinterest do blog!

RELATED POSTS