Papelaria de casamento e identidade visual

A identidade visual do nosso casamento foi uma das primeiras coisas que começamos a pesquisar. Nós dois queríamos que o casamento tivesse nossa cara e refletisse nossa personalidade, então fizemos questão de pensar em cada detalhe e fazer escolhas conscientes até ficar como sonhamos, sem cair no “deixa assim mesmo porque já tá bonito”, ou seguindo uma tendência ao pé da letra, sabe?

Foi assim com o nosso save the date (era pra ser o primeiro contato que os convidados teriam com o casamento, mas acabaram vendo o site primeiro porque atrasou tudo #fail), e continuamos com o mesmo briefing tropical, alegre e com essa carinha meio artesanal pro convite. Mas fizemos uma coisa não muito recomendada: mudamos a estampa no meio do caminho!

Identidade visual casamento Thaís e Nicolas

Apesar de amar nosso save the date a gente escolheu fazer algo diferente pro convite/resto da papelaria,  seguindo a mesma ideia mas ainda mais vibrante, e com alguns elementos que foram chamando a nossa atenção enquanto a gente se aprofundava no universo dos casamentos. Tipo a caligrafia moderna, um estilo que eu AMO e queria muito aprender (até pensei em treinar pra endereçar os convites eu mesma, mas daqui que minha caligrafia ficasse minimamente aceitável já ia ser nosso aniversário de 2 anos de casados ahaha), o envelope escrito em tinta branca e o lacre de cera com nossas iniciais (tem um valor sentimental porque foi comprado de um artesão em Veneza, numa das nossas primeiras viagens juntos).

Eu contei num dos posts sobre o casamento que tinha contratado a empresa da minha amiga, a Amiúde Papelaria, pra cuidar de toda nossa identidade visual. As meninas da Amiúde começaram nosso projeto juntas mas uma das sócias precisou se operar, então quem acabou fazendo a maior parte da nossa papelaria depois do save the date foi minha amiga, Isabela Frazão ([email protected]). Ela acabou de sair da empresa pra focar no mestrado mas ainda aceita freelas, e é claro que eu recomendo demaaaaais! :-) Bela não sossegou até tornar nossos sonhos realidade e olha, deu trabalho! ahah

O problema é que foi praticamente impossível achar profissionais que trabalhassem do jeito que a gente queria em Recife, alguns chegavam perto mas não eram “the one”, sabe?! Fui uma noiva exigente, eu sei, por isso levou tanto tempo pra ficar pronto! xD

Então acabamos fazendo um pedaço do convite em cada lugar: encomendei nosso nome caligrafado na Quill aqui em Londres, que depois foi impresso em hot stamping no convite pro nome dos noivos ficar metalizado. As flores em aquarela foram feitas pela ilustradora recifense Karla Gonçalves e depois editadas por Bela até ficar no formato ideal e no tom que a gente queria, e os nomes dos convidados foram escritos à mão nos convites pelo pessoal da Fabrico de Ideias, de Caruaru. Só faltou contratar alguém na Bélgica pra homenagear o outro lado da família, né?! ahaha

Identidade visual casamento Thaís e Nicolas

Outra coisa que eu fazia questão era um mapa! Sim, mesmo na era do Google Maps! ahaha Acho que ninguém se baseou no nosso mapinha pra achar a pousada, mas acho um detalhe tão charmoso pra um destination wedding… Pura frescurinha mas adoramos!

Aproveitamos pra colocar algumas informações importantes no verso do mapa sem “poluir” o convite, como o traje, lembrete pra quem ainda não tinha reservado o quarto na pousada, lista de presentes, nosso contato pra se precisassem agendar transfer etc.

E esse é o resultado final do convite: colorido e leve sem perder a sofisticação! :-)

Identidade visual casamento Thaís e NicolasNa foto: convite, mapinha e o cartão de boas-vindas pros hóspedes do final de semana

Preferimos usar os nomes próprios dos convidados em vez de “senhor e senhora + sobrenome” pra ficar mais informal e pessoal, e também escolhemos entregar mais convites pra aqueles casos em que a família inteira estava convidada mas os filhos já eram grandes/tinham acompanhante. Isso é questão de gosto mas eu acho tão mais carinhoso chamar todo mundo pelo nome (e admito que não gostava de ser convidada como “e família” quando já tinha 19 anos ahaha)… Os convidados xóvens amaram, a namorada de um amigo ficou toda emocionada de receber o primeiro convite com o nome dos dois *-* Fofo demais!

Papelaria de casamento: Os itens opcionais


Mas a identidade visual do casamento vai além do save the date e do convite. Dá pra usar a mesma estampa e elementos nas senhas, tags pra amarrar nos docinhos, imprimir no tecido pra embalar os bem-casados, nos guardanapos, forrar as caixinhas do kit toalete, fazer plaquinhas pra pista de dança, menus, sandálias, leques…

Como tudo no mundo dos casamentos o céu é o limite, mas não curto quando saem monogramando a festa inteira e o que era pra ser o diferencial passa a ser só o que você vê no casamento. A linha que divide “detalhes fofos com um propósito” de “gasto com coisas que vão pro lixo rapidinho” é muuuito tênue – na minha opinião, menos é mais!

Além dos convites, encomendamos cartões em branco com as flores na borda (onde escrevemos mensagens pros convidados que iam ficar na pousada, a hashtag, o horário do passeio de barco etc.),  dois menus bilíngues pra cada mesa, menus para as duas ilhas do buffet, mini cartões com a hashtag #thaisnic, que ficavam presos nos guardanapos junto com um raminho de alecrim (nos cartões estava escrito “Espalhe amor!” e fizemos nas três línguas – ô casamento complicado ahahah)… E pra comemoração continuar mesmo depois do casamento, encomendamos thank you cards!

Acho tão delicada essa tradição que as pessoas têm por aqui, não sei se é frescura minha mas eu adoraria receber um cartão escrito à mão agradecendo pela presença num casamento. Ainda estamos escrevendo os nossos e leva um tempo danado, mas acho que os parentes e amigos vão curtir :-)

E essa foi a nossa identidade visual e tudo de papelaria que fizemos pro casamento! Se a festa não fosse na praia, talvez a gente tivesse feito as tais lágrimas de alegria (um nome hipster pra lencinhos de papel que o cerimonial coloca nas cadeiras – até pensamos em fazer na semana do casamento mas tudo ia sair voando então desistimos ehehe) e sandálias pras convidadas, muito útil se é uma festa à noite e todo mundo usa saltão.

Ficamos apaixonados por cada detalhe da papelaria, valeu a pena cada minutinho e cada alteração até chegar no resultado final. Infelizmente os convidados da Europa só receberam os convites depois do casamento (tivemos um problema com a entrega aqui em Londres, só chegaram no começo de janeiro mas aí todo mundo já estava no Brasil, oops), mas os convidados brasileiros ficaram encantados e elogiaram demais :-) Agora só falta decidir o que mandar emoldurar pra colocar essas flores na parede de casa!

17/02/17

RELATED POSTS