Verão em família!

Agosto daqui a pouco acaba e queria escrever sobre a visita da minha família enquanto tudo está fresquinho na memória. Ainda não estou morta de saudade, mas Nic está viajando há dias e depois de quase um mês com a casa ocupada por amigos ou família é muito esquisito dormir e acordar sozinha… Estou escrevendo esse post ao som de Alone Again (Naturally), porque se é pra ficar sozinha vamos também cantar uma música dramática e rir de si mesma né? ahaha

DSC_0116IMG_2480

A primeira etapa das férias foi na Bélgica, visitando a família de Nic. Na verdade apresentando, porque meus pais só conheciam os pais e a afilhada dele que já tinham ido ao Brasil. Então puderam conhecer a vila onde ele cresceu, as avós, primos, tios, tias, amigos da família.. E eles pareciam até celebridade porque todo mundo já tinha ouvido falar deles, visto foto, sabiam até falar os nomes certinho (quem tem nome diferente e vem pra Europa sabe como isso é um milagre ahaha)! xD

Sempre me perguntam como funciona a comunicação nesses momentos família e é “simples”: meus pais falam alguma coisa em português, eu falo em inglês pra Nic e ele traduz pro francês pra família dele. Eles respondem em francês, Nic traduz pro inglês e eu digo em português. E aí começa tudo de novo :-) Sim, tem horas em que é cansativo – eu lembro que ano passado quando estávamos todos juntos no Brasil e falando o dia inteiro, à noite eu ficava com dor de cabeça de tanto “forçar” tico e teco.

DSC_0104

Mas agora já está ficando melhor, os quatro pais usam aquele método vamos falar mais alto e mais devagar que a pessoa vai magicamente entender e por incrível que pareça funciona ahaha Junte a isso umas mímicas e o google quando tem internet (viva a tecnologia!) que fica tudo certo :-) Eu fiquei BEM feliz porque meu irmão também veio, uma pessoa a mais que fale duas línguas faz uma diferença danada. E olha, em alguns momentos nós éramos dispensáveis e Nic já entendia tudo em português! #chocada #sabetodospalavroes

DSC_0313

Ficamos uma semana por lá e o que menos fizemos foi turistar. Na verdade a maioria dos dias podiam ser resumidos por essas fotos:

IMG_2386DSCN0647

A bóia gigante que comprei em São Paulo (postei tanta foto dela que até parece que fui paga pela Havaianas ahaha), uma rede, piscina e sol… Demos muita sorte de pegar uma semana de verão DE VERDADE e chegou a fazer 32 graus, então com o sol se pondo perto das 22h mesmo “à noite” rolava dar uns mergulhos :-)

DSC_0129 DSC_0119

A paz desse lugar é uma coisa de outro mundo. Alguns vizinhos criam galinhas, outro cavalos, cabras, quando vamos pra vila vizinha passamos por quilômetros e mais quilômetros de plantações, gramados com vaquinhas deitadas fazendo a fotossíntese.. E aquele silêncio absoluto o dia in-tei-ro. É engraçado pensar como nossa infância foi diferente, nem imagino como deve ser crescer num lugar assim tão tranquilo e poder andar de bicicleta pelas vilas vizinhas sem se preocupar com nada, roubar colher frutas na plantação e dar uma paradinha no estábulo pra falar com os animais.

Quando comparo Les Wallefes a Londres parece que estamos em planetas diferentes. Claro que por conta da Bélgica ser um país pequeno e todo mundo ter carro mesmo as pessoas que moram nessas vilas estudam ou trabalham nas cidades maiores, vão numa vila maior fazer as compras etc, mas é uma forma de viver tão diferente né? E não me espanta que o namorado tenha escolhido morar num lugar que é o completo oposto de onde ele veio, se eu já achava Recife pequena e sem muitas coisas acontecendo..

DSC_0131

Painho e mainha trouxeram um carregamento de coisas gostosas que eu sinto saudade – e agora Nic também, nunca vi um gringo pra gostar tanto de guaraná! rs – minha vó até fez pamonha do jeitinho que eu gosto e congelou pra eles trazerem <3 Muito amor! Todo mundo na Bélgica aprovou a pamonha, apresentamos tapioca com queijo do reino (!!!) pra eles, bebemos muita cerveja belga e comemos muita, MUITA batata frita. Aliás, sabia que apesar de popularizadas pelos franceses elas foram inventadas na Bélgica? #frenchfriesmyass Por lá o normal é fritar as batatas duas vezes *insira um emoji de aleluia* e comer com maionese, dá vontade só de lembrar :-)

Nem sei mais tudo o que eu comi nessa viagem, sempre como tão bem quando vou pra lá (almôndegas com molho de tomate e batata frita com maionese! OMG!) que volto rolando. Como painho ama cozinhar ele praticamente tomou posse da cozinha da sogra e os dois ficaram trocando receitas e preparando delícias. Teve até churrasco e MEU DEUS QUE SAUDADE DE UM CHURRASCO BRASILEIRO ahaha Painho fez pão de alho e ninguém acreditava que aquilo ia ficar bom (“como assim você vai grelhar uma coisa que leva maionese?!”) – não sobrou um pra contar a história e tivemos que repetir a receita noutro dia pras visitas.

ago15_1IMG_2700

E como se não bastasse também passamos o aniversário da minha sogra lá, painho fez risotto e pra sobremesa bolo de chocolate com morango, bem brasileiro e feito com muito leite condensado. *SOCORRO* Desculpa aí pessoas que me seguem no Instagram e tiveram que ver essas coisas, não deu pra não compartilhar ahaha

DSC_0118DSCN0628Sangria bem gelada na piscina <3

Apesar de ter sido uma semana bem relax deu pra levar meus pais a uns lugares que eu gosto e também conhecer algumas atrações diferentes que vão virar posts. Momento sinceridade: eu sou muito inquieta. Muito. Quero ver tudo, odeio sentir que estou “desperdiçando” as férias e um dia de sol e sei que isso é uma ideia ridícula porque mesmo que estejamos em casa fazendo nada na piscina, ainda assim estamos aproveitando as férias e o tempo com a família e isso é bom, né? Mas enfim, estou divagando. O que eu quero dizer é que apesar de amar viajar com a família e estar com todo mundo junto, pra mim é difícil ficar bem com o fato de que não, não vou ver tudo o que gostaria de ter visto ou poderia ter feito se só estivesse lá com Nic.

A gente tem um ritmo bem não-para-não-para-não-para-não até o chão! e é um exercício entender e aceitar que as pessoas tem ritmos e expectativas diferentes de uma viagem. Dessa vez eu estava louca pra conhecer a Antuérpia e quando vi que não ia rolar fiquei meio pra baixo. Isso é algo que eu preciso trabalhar afinal de contas tanto meus sogros quanto meus pais não aguentam mais certas coisas e nem por isso vamos parar de viajar juntos né.. Estamos procurando um meio termo que deixe todo mundo feliz e acredito que com o passar do tempo vai ficar mais fácil.

IMG_2660DSC_0575 2Nós quatro juntos de novo!

Olhando essa foto dá uma saudaaaaade! Como disse num outro post nunca tivemos dinheiro sobrando e nem cogitávamos um dia estar passeando na Europa com a família toda, foi meio surreal e a gente se pegava olhando um pro outro e rindo porque era muito esquisito. Não estava nos planos sabe? Eu achava que só ia ver meu irmão no natal e fez toda a diferença do mundo ter ele aqui com a gente, tem um milhão de fotos e vídeos pra posteridade mas em 99% ele tá fazendo careta ahah Poxa Thiago!

DSC_0692DSC_0682Pausa pra foto em família!

Tiramos essa foto na manhã do meu último dia, já meio atrasados pra pegar o trem pra Brugge mas não podia voltar da Bélgica e ter somente uma foto com todo mundo junto (e ainda por cima é aquela do começo do post com todo mundo comendo ahaha somos gordinhos mas pera lá)Eu tive que voltar mais cedo pra cobrir uma feira em Birmingham e perdi o dia dos pais, mas pelo menos esse ano a distância foi menor :-) Quando voltei do trabalho na segunda à noite eles já estavam aqui em Londres me esperando e a segunda parte da viagem começou.

DSC_0927IMG_3102

Teve piquenique no parque, uma produção semi industrial de coxinhas (que estão aqui congeladinhas esperando a saudade bater nhaammmm!), visitas a mercados, tour de lojas interessantes, museus e muitos passeios no segundo andar do ônibus vermelho. Em alguns dias que eles estavam aqui eu estava trabalhando mas ainda assim deu pra aproveitar bastante – só faltou Londres colaborar com o tempo e mandar um calorzinho :-) Depois do calor e céu azul de doer na Bélgica o verão londrino pareceu meio sem graça! rs

E deu pra encaixar até uma visita à IKEA! AHAHA Eu admito que usei a desculpa de que precisava mostrar aquela loja aos meus pais pra me convencer que precisava ir. Só vou tipo uma vez por ano porque é impossível ter autocontrole naquele lugar, mas trouxemos umas coisas legais aqui pra casa e eles também fizeram a festa nas coisinhas menores que caberiam na mala.

IMG_3127IMG_3155

Mas eles passaram por um perrengue tão grande aqui em Londres viu… Como a gente mora num apartamento de um quarto todo mundo que nos visita dorme na sala. E o sofá aqui de casa é desse de dois lugares, não é um sofá cama (tá todo rasgado e não podemos comprar um sofá cama porque se a gente jogar esse do apartamento fora, teríamos que deixar o nosso pra substituir quando formos embora daqui. Enfim, chatices de morar de aluguel) então todo mundo dorme num colchão inflável #ryquezas.  Rafa e Diego tinham passado uns dias aqui no final de julho e dormiram no colchão, estava tudo normal mas foi só dar o dia do meu irmão chegar que o bendito começou a murchar!

Ok, sem problemas, Thiago já ia trazer um de solteiro mesmo então dava pra concertar o furo do de casal a tempo dos meus pais chegarem. Compramos o kit pra reparar, Nic e Thiago fizeram tudo bonitinho e fomos dormir com os dois colchões lindos e cheios… Quando a gente acorda e vem na sala meu irmão tá todo torto dormindo no chão, porque além do colchão de casal esvaziar de novo o de solteiro também resolveu murchar! O_O MUITO bizarro, a gente fez de tudo mas não dava pra achar os furos (nem descobrir o que diabos causou isso já que o piso de madeira é bem liso), pra resumir a história todo mundo acabou dormindo na sala com edredons e lençóis improvisando uma cama e os colchões infláveis foram pro lixo.

IMG_3181DSC_0480Depois dessa não é de se admirar que eles quisessem voltar pro Brasil #oops ahaha

E aí chegou o dia de ir embora… Meus pais primeiro, meu irmão uns dias depois. Saber lidar com a saudade é uma das coisas mais importantes se você quer morar fora, e mesmo me considerando “boa” no assunto depois de semanas com a família é difícil se adaptar a não tê-los por perto. Quando todo mundo foi embora e a casa ficou vazia eu não conseguia desfazer a bagunça da sala, era como se enquanto as “camas” estivessem montadas eles podiam voltar de um passeio a qualquer momento e bater na porta.

Agora que já faz quase duas semanas a vida voltou ao normal. Estou aproveitando o espaço na sala, o banheiro sempre desocupado, menos bagunça pra arrumar e até o silêncio que eu geralmente não gosto. Tô me ocupando com projetos atrasados, livros que ficaram muito tempo na fila de leitura, a pilha imensa de roupas pra lavar e posts pro blog, mas de vez em quando me pego abrindo aquela pasta no computador pra olhar todas as fotos de novo.

IMG_3766

Nessas horas a saudade bate forte mas fico feliz só de lembrar como foi bom, e mais feliz ainda por saber que dessa vez não vou precisar esperar um ano até ver minha família outra vez. Um beijo pros três e até dezembro! :-)

RELATED POSTS