A saga do vestido de noiva

Queria começar o post dando um grito de felicidade: comprei meu vestido de noiva!!!! E não, não é pegadinha de primeiro de abril! hahah :D Parece rápido (até porque o casamento só é em janeiro!) mas quem me acompanhou no Instagram ou no Snapchat viu que foram muuuuitas visitas a lojas diferentes, com uma certa dose de estresse e insônia…

Aqui na Inglaterra não tem essa história de alugar vestido (e eu também não ia querer alugar #alertadenoivafresca), e como 99% dos vestidos não são confeccionados aqui as revistas indicam que você comece a procurar com uns 9 meses de antecedência. Depois que você encontra O vestido ainda tem muito chão pela frente: a loja tem que encomendar no tamanho certo, o fornecedor vai confeccionar, mandar de volta, a loja vai agendar provas pra marcar os ajustes finais, depois a costureira vai alterar o vestido, você vai provar de novo pra ver se está perfeito… Esse processo pode tranquilamente levar uns 6, 7 meses, a não ser que você compre o vestido do mostruário que as lojas às vezes oferecem com desconto para pronta entrega, ou então pague mais caro para que adiantem sua encomenda.

IMG_2457

Eu já tinha certeza que seria difícil achar algo que gostasse antes mesmo de começar a procurar meu vestido. Eu sou uma pessoa intensa, daquelas que ou AMA ou ODEIA sabe? E pra melhorar a situação eu sou ridiculamente indecisa e ainda tenho uma certa tendência a, depois que escolho uma coisa, ficar analisando aquilo mentalmente até me convencer que escolhi a coisa errada (mesmo quando tudo prova que ela foi a escolha a certa! Oh céus)… Ou seja, uma noiva bem fácil! ahhaha

Minha busca começou igual a de toda noiva viciada em internet: no Pinterest! <3 Criei uma pasta secreta e quando não estava fazendo nada ia guardando ali tudo o que me chamava a atenção. Algumas semanas depois já dava pra perceber um estilo aparecendo e quais tipos de decote/saia/textura/volume/detalhes eu salvava repetidamente. Foi aí que eu comecei a ficar obcecada com uns detalhes diferentes que se repetiam nos meus vestidos preferidos (infelizmente não posso explicar mais, senão perde a graça!) e correr atrás de todos vestidos que tivessem esses elementos.

IMG_1768Um mar de vestidos brancos na David’s Bridal

Com um estilo mais ou menos encaminhado na minha cabeça comecei a pesquisar lojas aqui em Londres – são muitas. MUITAS. Quando tinha uma lista de mais ou menos 20 lojas pra investigar melhor, ver quais designers vendem, qual a faixa de preço etc, fui descobrindo coisas chatíssimas nesse universo noivas. A primeira: muitas lojas cobram até £30 pra agendar visita em certos horários – oi?! Já fui cortando essas da minha lista, ou então marcava pro meio da tarde e tirava umas horas de folga do trabalho, não entra na minha cabeça pagar pra experimentar vestidos que nem sei se vou gostar!

E a segunda descoberta: não dá pra ter ideia dos preços nos sites das lojas! Pra quem já mora aqui há um tempo isso é absurdo, não existe morar em Londres e visitar um restaurante sem saber o preço no cardápio, ou pesquisar um hotel e não achar o valor da diária sabe?!

Algumas lojas até separam seu catálogo por designers e colocam a faixa de preço dos vestidos desse estilista, outras colocam escondidinho no FAQ da loja que eles tem vestidos de X a Y libras, mas a grande maioria só mostra as fotos e você que se vire pra ligar/mandar e-mail pedindo mais informações. E ainda por cima tentar adivinhar se aqueles 3 vestidos específicos estão mais pro preço mínimo ou pro preço máximo da coleção dessa marca, ou se aquele estilista das criações que você amou está mais perto dos vestidos de £1000 ou de £7000 que a loja vende

Porque imagina que maravilha visitar uma loja, encontrar o vestido dos sonhos, chorar, abraçar azamiga, ensaiar a valsa e só depois descobrir que tudo naquela loja custa pelo menos 3 vezes mais do que você pode pagar! Seria cômico se não fosse trágico!

IMG_2005

Comecei minhas visitas pela David’s Bridal, uma rede bem conhecida dos Estados Unidos e que aqui em Londres tem uma loja enorme no shopping Westfield. Ir primeiro numa dessas lojas gigantes como David’s Bridal ou Pronovias é ótimo porque eles tem todos tipos de vestido: sereia, princesa, evasê, mega armado, justinho, com cauda, sem cauda, curto, com fenda, de cetim, tule, renda, bordado, liso, manga longa, alcinha, tomara que caia…

É bom pra ter aquele choque de realidade e ver se os estilos de vestido que você ama em fotos ficam bons no seu tipo de corpo, e também recomendo dar uma chance a silhuetas que você nunca pensou em escolher. Provar não dói, e só experimentando você vai ter certeza do que gosta e principalmente do que não quer de jeito nenhum!

Ah, e foi logo na primeira loja que tive a terceira surpresinha chata: se você quiser um vestido de qualidade, aceite que é tudo caríssimo. E nem pense que tô falando de vestidos “bordados com diamantes e saia com trinta metros de renda francesa costurados à mão por freiras cegas” não! Esses eu já sabia que seriam caros e descartei lojas nesse estilo – o meu choque foi descobrir o preço dos vestidos normais. Aqueles nada empolgantes que você prova e são apenas ok, e que quando você se olha no espelho pensa “se não achar nada melhor e tiver faltando um mês eu compro esse”.

IMG_2085

Falar de preço é complicado, o que é caro pra mim pode ser super barato pra você ou um preço absurdamente impagável pra outra pessoa, mas falando beeem por cima só pra contextualizar: os vestidos que ficam na casa das centenas de libras são aqueles com tecido horroroso, modelagem mal feita e aquele tule tão grosseiro que poderia ser usado como rede de pesca. Juro que não tô exagerando! ahaha Eu nunca vi aquela expressão “o que é um peido pra quem já tá todo c*gado?” fazer tanto sentido como no mundo dos casamentos! É melhor aceitar que dói menos, e tentar silenciar aquela vozinha na sua cabeça que diz que com o dinheiro desse vestido você poderia fazer um cruzeiro de 20 dias… Sim, podem existir exceções a essa regrinha triste mas elas são BEM raras (tão raras que não encontrei nenhuma).

Passado o choque do preço, prepare-se pra um outro dilema do universo vestido de noiva: quase tudo é bonito e sem graça ao mesmo tempo! Pensa comigo: se você fez a tarefa de casa direitinho e já sabe mais ou menos o que acha legal, você só vai provar vestidos bonitos, não é mesmo?! Você vai entrar na loja, passar reto por aquele vestido horroroso cruzamento-de-debutante-americana-com-fantasia-de-halloween e escolher colocar no seu corpitcho uns 4 ou 5 vestidos que você poderia se imaginar usando. Em cada loja que você visitar uns 2 vestidos vão cair bem, e um deles você pode até gostar tanto que vai começar a fazer uma dancinha balançando a saia. E é nesse momento que você percebe que, se você for uma pessoa indecisa (oi!), a coisa vai complicar!

IMG_2116

O problema de encontrar o seu vestido de noiva não são as lojas cheias de vestidos bregas, ou os preços fora do seu orçamento… Isso tudo você já resolveu antes. O problema é saber diferenciar, quando você está usando um vestido bonito, num preço acessível, as funcionárias da loja estão fazendo aquela cara “meu deus como você está linda” e sua amiga está emocionada tirando fotos, o que é apenas um vestido lindo e o que é o SEU vestido lindo. Aquele que encaixa tanto com sua personalidade que parece que foi feito pra você, aquele que faz com que você não consiga mais se imaginar vestindo outra coisa pro seu casamento.

Li em algum lugar que você tem que se vestir de noiva, não se fantasiar de noiva, e ficar repetindo isso mentalmente me ajudou MUITO. O vestido tem que antes de qualquer coisa ser fiel a quem você é, pra que no dia você se reconheça nele e não se sinta apenas o “personagem” noiva, entende? Eu não sou a noiva – eu sou Thaís e quero continuar sendo Thaís (ok, pode ser uma versão sem frizz e com pele perfeita ahaha) no dia do nosso casamento.

Eu provei vários vestidos bonitos, muitos me fizeram imaginar como vai ser nosso casamento e colocaram um sorrisão no meu rosto. Inclusive saí de duas lojas com a sensação de que a busca podia terminar ali, mas como já tinha horário marcado em outras lojas e ainda falta muito tempo pro casório continuei visitando lojas… Foi a melhor escolha que eu fiz!

vestidodenoiva

A primeira vez que essa sensação apareceu foi quando visitei uma loja perto de casa chamada Ingrida Bridal – consegui um horário em cima da hora num dia de home office e foi naquela loja que me enxerguei noiva (e não fantasiada de noiva!) pela primeira vez. A Ingrida é uma designer da Latvia que tem loja por lá há quase 20 anos e há uns 2 ou 3 abriu uma filial aqui em Londres. A atendente é um amor, a loja é uma fofura e eles tem vestidos lindos com um preço ótimo, mas o que fez meu coração bater mais forte foi a chance de ter um vestido exclusivo desenhado pra mim.

Fui provando vestidos e perguntando como quem não quer nada se tinha como alterar isso, acrescentar aquilo… Passei pro “pode fazer aquela parte de cima com aquela parte de baixo e as aplicações daquele outro vestido?” e foi aí que descobri que ela também faz vestidos bespoke, desenhados e modelados sob medida do jeitinho que você sonhou. Mostrei no Pinterest mais ou menos o que queria, ela me disse uma média de preço e saí da loja dando pulos de alegria e querendo abraçar estranhos nas ruas. Mandei as fotos usando uns vestidos pras madrinhas e pra minha mãe, todo mundo achou muito meu estilo e minha melhor amiga ficou de desenhar um vestido unindo os elementos que eu mais amava pra Ingrida analisar e me dar o preço final.

IMG_2030

Mas a busca continuou, visitei várias lojas e nada muito interessante que me fizesse esquecer meu vestido exclusivo imaginário. Uns dias depois tinha horário na Bridal Rogue Gallery e dessa vez me apaixonei por um vestido pronto, que eu podia customizar com os tais ~detalhes secretos~ que continuavam na minha cabeça. Liliana foi a única que pôde me acompanhar numa dessas visitas às lojas (pausa pra mencionar a tristeza que é ir provar vestido de noiva sozinha!) e assim que ela chegou na BRG também se apaixonou pelo vestido que eu estava usando, foi tipo cena de filme! :-) Eu tinha certeza que tinha encontrado o vestido e não queria tirar pra nada, se pudesse saía da loja usando naquele sábado mesmo ahaha

Mostrei as fotos ansiosa pra minha mãe e pras madrinhas e elas acharam somente bonito, ninguém teve a empolgação que eu esperava e fiquei beeem noiada com isso. Continuei visitando as lojas que já tinha agendado e depois de uns dias cometi o maior pecado de toda noiva procurando vestido: mostrei as fotos pra mais gente. Nesse caso, pras minhas chefes (!!!) Elas também amaram um vestido da Ingrida Bridal, acharam muito minha cara e disseram que esse outro me deixou mais velha e sem cintura. Assim, na minha cara ahahah! Eu não recomendo mostrar as fotos dos vestidos que você gostar pra muita gente, mas nesse caso foi bom porque elas tinham razão (#todoschora) – eu estava mais velha, sem muita cintura e não sei, a cada dia que passava menos eu me reconhecia naquele vestido.

Mas também a cada dia mais apreensiva eu ficava com a ideia de desenhar um vestido exclusivo, porque se tem uma coisa que eu aprendi nessa busca pelo vestido perfeito é que muitas vezes aquele detalhe que você jura que vai amar, é justamente o que fica péssimo em você. Me deu muito medo de ter o vestido dos meus sonhos no papel, mas na vida real descobrir que não era bem isso o que eu queria… Claro que seria um vestido bonito e poderia alterar algumas coisas no processo, mas eu queria sentir que era o meu vestido antes de comprar. Queria ter certeza antes de pagar tão caro por ele.

IMG_2431

E tive certeza na quinta seguinte, véspera do feriadão da páscoa, quando visitei o showroom da Catherine Deane. Não lembro como cheguei no site dessa designer mas amei os vestidos, marquei um horário e descobri que pessoalmente eles são ainda mais deslumbrantes. Tecidos nobres, detalhes diferentes, vestidos modernos e românticos ao mesmo tempo e com a leveza que eu tanto queria…

A atendente separou os modelos que eu tinha selecionado no site e disse que dois deles não estavam mais sendo fabricados, eles só tinham os do mostruário num tamanho bem grande mas que eu podia provar se quisesse. Eu disse que tudo bem e ela foi pegar os tais vestidos – não precisou nem tirar o primeiro completamente da capa pro meu coração começar a dar pulinhos. Foi até meio ridículo, todos os vestidos que eu tinha amado até dois minutos atrás sumiram e eu fiquei boquiaberta tocando nos detalhes daquele, dizendo “não, não acredito que vocês tiraram esse vestido de linha. Why? Seriously, whyyyyyy?!” ahahah

Escolhi outros dois vestidos pra experimentar porque ela tinha me pedido pra provar três, mas foi só fechar o zíper do primeiro que eu já queria tirar, eu PRECISAVA provar aquele outro vestido! Fiquei um minuto no provador olhando pra ele com medo de tocar e danificar alguma coisa, muito mamona ahaha! Como era de se imaginar o vestido ficou gigante em mim (uso tamanho 6/8 e ele era 12), não deu pra ver ao certo como ficaria quando fosse ajustado mas eu me senti tão EU naquele vestido que não conseguia parar de olhar meu reflexo no espelho. Mesmo com a maquiagem feiosa do fim do dia e o cabelo precisando de uma lavagem, eu me senti fantástica naquele vestido. Ele era 100% fiel ao meu estilo, ao estilo do nosso casamento, moderno e atemporal ao mesmo tempo, e ainda tinha os tais detalhes secretos reinventados de uma forma ainda mais maravilhosa que eu nem sequer imaginei! Foi amor à primeira vista, por mais clichê que isso possa parecer!

IMG_2414

O vestido estava no limite do meu orçamento, mas por ser tão grande eu ia ter que gastar muito pra ajustar… Foi aí que a atendente ganhou o prêmio de mais incrível do mundo, me ofereceu um abraço apertado e um desconto grande, além de reservar o vestido pra mim até a terça seguinte. Eu já queria trazer minha sogra no sábado pra me ver no vestido, como eles estavam vindo passar o dia aqui em Londres seria a chance perfeita pra tanto a mãe quanto a afilhada de Nic dividirem esse momento comigo, mas infelizmente os horários não bateram… Da quinta pra sexta sonhei com o vestido, eu provava outros vestidos em uma loja qualquer e ficava repetindo que nenhum era igual ao da Catherine Deane.

Fiquei com medo de mostrar fotos (até porque imagina como eu estava estranha num vestido dois números maior!) mas me impressionei como todo mundo amou o vestido – principalmente aquelas pessoas que importam de verdade, que me conhecem há anos e às vezes sabem dos meus gostos melhor que eu mesma. Eu mal conseguia pensar em outra coisa durante o final de semana e Ray, que ia desenhar o meu vestido dos sonhos, só conseguia desenhar esse! ahaha :-) Nesse meio tempo entrei em contato com Ingrida e mostrei as fotos do vestido, estava com medo de comprar um tamanho tão grande sem saber quanto gastaria para alterar, ou pior, pagar centenas de libras a alguém e a pessoa estragar o vestido…

Ela me deu o preço pra fazer um novo no meu tamanho, mas como o vestido tem detalhes trabalhosos ficaria quase o dobro do que eu planejava gastar. Fiquei ainda mais ansiosa porque agora as opções eram 1) um vestido sob medida que eu não podia pagar ou 2) o mostruário dois tamanhos maior que eu teria que me virar pra encontrar quem ajuste e nem sabia se já tinha sido vendido. Na segunda de feriado tentei ligar novamente na Catherine Deane (vai que o showroom estava aberto?), na terça liguei de novo, mandei email, e quando finalmente consegui falar com Sandra ela me disse que tinha uma desistência de horário no dia seguinte, o vestido continuava guardado pra mim e eu podia ir provar de novo.

IMG_2425

Quando cheguei no showroom ele estava pendurado no meio da sala esperando por mim. Não preciso nem dizer que fiquei tão louca de emoção que nem provei o vestido de novo né? ahaha o medo de ficar vestindo e danificar alguma coisa falou mais alto, nos poucos segundos em que eu consegui tirar os olhos do vestido passei o cartão (ouch!), digitei a senha e peguei o contato de um alfaiate que a designer recomenda.

Foram apenas 19 dias entre a primeira visita na David’s Bridal e o dia em que voltei pra casa carregando meu vestido de noiva. Parece pouco e posso até ter sido uma noiva prematura, mas tenho certeza da escolha porque visitei todas as lojas que estavam no meu orçamento e vi tudo o que está no mercado no estilo/preço que eu queria. Ao todo foram 10 lojas e perdi a conta de quantos vestidos experimentei, alguns horrendos e alguns muito bonitos, mas nenhum tão especial quanto o meu vestido! #aiquebrega

Foi um alívio voltar pra casa com ele, acho que nunca segurei uma sacola com tanta força na vida. Agora vou obedecer aquela regrinha de ouro que manda parar de ver vestidos depois que você comprou o seu, e também não vou me permitir olhar pra ele até o dia da primeira prova (lembra que se eu ficar analisando demais vai dar ruim? Então). Porque se engana quem acha que a saga do vestido de noiva acabou, daqui há uns meses preciso criar coragem de começar os ajustes e quem sabe acrescentar uma coisinha que eu ando de olho… Eu disse que sou uma noiva fácil, até quando acho o vestido perfeito invento de mudar alguma coisa! ;)

RELATED POSTS