Mas com o que você trabalha?

Eu nunca entendo quando me pedem pra falar sobre o que faço no dia-a-dia porque o post basicamente seria: chego no trabalho, sento no computador, respondo emails, escrevo/edito coisas, almoço, escrevo/edito/tuito mais coisas, respondo mais emails e vou embora ahahah :-) Não é nada glamouroso ou diferente do que todo mundo que trabalha em escritório faz – bunda na cadeira, computador ligado e uma to-do list interminável. Mas como missão dada é missão cumprida, vou tentar detalhar e mostrar as partes legais (press days! press days!), como vim parar aqui, o que eu faço na revista etc.

11057216_991259227551289_2832378950375347201_nEu TINHA que abrir o post com essa foto do Aprendiz de Viajante!!! ahahah

Abre parêntese…

Quando larguei a faculdade de arquitetura e comecei design de moda eu até flertava com a área de criação ou modelagem, mas com o tempo vi que moda era algo TÃO mais abrangente que ser designer de moda no sentido tradicional da palavra não me empolgava muito. Eu me interessava mesmo era pela área de pesquisa de tendências, na minha cabeça era a coisa mais cool do mundo ser capaz de dizer o que iria bombar em 1, 5, 10 anos com base no tal zeitgeist, o que acontecia na sociedade, cenários econômicos, oferta de matéria prima, movimentos artísticos e tal. Foi por isso que quando vim pra Londres pela primeira vez em 2011 eu escolhi fazer dois cursos curtinhos de trend forecasting lá na Central St. Martins (acho que um dia também escrevo aqui sobre minha primeira vez em Londres, são tantas fotos e lembranças maravilhosas que queria deixar registrado pra posteridade!).

Engraçado como uma escolha tão simples muda todo o futuro de uma pessoa. Se eu tivesse escolhido um curso na área de design, modelagem, ilustração ou sei lá o quê, não teria sido atraída pela possibilidade remota de trabalhar com algo relacionado a pesquisa de tendências que surgiu quando entrei em contato com o Intern London. Eles me ofereceram duas opções pro meu estágio, a revista onde eu trabalho que na época nem site tinha, um problema que eu iria ajudar a resolver, e a outra opção se não me engano era uma loja virtual. Mas é claro que quando fiquei sabendo que a tal revista também publicava relatórios e trend boards a escolha já estava mais do que feita, eu já me imaginava aprendendo a fazer todas aquelas coisas misteriosas e sendo contratada pelo WGSN quando meu estágio acabasse ahahah deslizando na maionese meeesmo!

IMG_7554Londres ensolarada num dia trabalhando fora do escritório: meu coração não aguenta <3

Mas se eu não tivesse escolhido a revista e caído de paraquedas no lugar certo na hora certa, teria voltado pro Brasil chorando litros depois dos meus 6 meses de estágio (ou casado antes de ter uma vida organizada, relação estabelecida etc só pra poder continuar com meu namorado, o que eu obviamente não queria fazer assim às pressas). O ponto é que eu precisava daquele emprego e do visto o tanto quanto as minhas chefes precisavam de mim e do que eu tinha feito naqueles poucos meses estagiando com elas – montar um site pra revista, Facebook, Twitter, newsletter e afins.

O time é bem pequeno e não tinha ninguém que soubesse essas coisas, até porque a situação financeira só tinha começado a melhorar por aqui em meados de 2011/2012, não tinha dinheiro pra pagar um funcionário dedicado a isso sabe? E ainda não tem, meu salário é bem abaixo do mercado, preciso fazer freelas e pra ser sincera não conseguiria ter uma vida legal se não tivesse o apoio de Nic. Maaaassss foi esse salário humilde que me deu um visto de 3 anos, a chance de um futuro aqui e a oportunidade de continuar nossa relação (namoro à distancia é uó, não desejo pra ninguém!), não dá pra não ser eternamente grata.

Então é basicamente isso, não vou dizer que sou a top de linha funcionária mais importante da vida porque esse é o meu primeiro emprego e claro que tem uma boa dose de sorte nessa história toda, mas eu me empenhei muito e fiz tudo o que pude (e o que não podia, descobri no google como fazer ahaha) pra ser indispensável. Nem que fosse pra ter uma relação boa com minhas chefes e ser indicada pra alguma outra coisa, mas como fui contratada aqui estou quase 2 anos e meio depois :-)

…Fecha parêntese.

IMG_6723Press day de agência, nesse tinha até Missoni e Versace o_o

Não vou dizer o nome da revista que trabalho mas é uma B2B (business to business, ou seja, ao contrário da Vogue, Glamour e derivadas o foco não é o consumidor final) especializada em moda íntima, praia, loungewearsportswear. Como já deu pra perceber toda a parte de tendência era delírio da minha cabeça e a revista não foca nisso, e eu também não trabalho exatamente na revista impressa (minha primeira matéria no papel vai sair agora em Junho sobre a Colombiatex, tô hiper nervosa! ahaha). Meu cargo desde que fui contratada é Online Editor, que é basicamente quem mantém contato com as marcas, fábricas, lojas, feiras etc sobre tudo que pode ser interessante para o site da revista.

Não nos interessamos somente no produto final, mas sim em tooooodas etapas da cadeia têxtil pra esses segmentos que cobrimos, e sempre antes de ser lançado pro consumidor (não tem graça ir na loja e ver lingerie porque já vi aquela coleção pelo menos 6 meses atrás rs). Nova coleção sendo lançada, quando uma empresa de pesquisa divulga as tendências pra temporada, relatórios de como o país está se desempenhando no setor têxtil e de vendas, novidades de maquinário, feiras de negócios, ações de marketing que englobem lingerie/swimwear/derivados, lojas abrindo ou fechando, fibras especiais sendo desenvolvidas, anúncio que tal empresa contratou tal pessoa pra representar a marca no Reino Unido ou até mesmo quando Taylor Swift usa a marca X de meia-calça no clipe novo – tudo isso é analisado e editado/escrito por mim e o que interessa vai pro site.

IMG_8557No press day da Freya

Meu trabalho também é manter essa relação com as marcas, empresas de consultoria, lojas, fornecedores e mais mil setores da indústria, atualizar redes sociais (mas como não falamos com o consumidor final o objetivo não é milhares de seguidores), fazer newsletters, descobrir coisas novas nas feiras que visitamos, cobrir inauguração de exposições relacionadas e a minha parte preferida, ir nos press days! São os dias em que as marcas ou agências de relações públicas apresentam coleções novas pra imprensa, blogueiros, stylists e derivados.

Não vou ser hipócrita e dizer que não ADORO porque quem não gostaria de ver novidades lindas, ganhar lingerie e outras coisas, fazer a unha de graça e beber bons drinks?! ahaha amo! :-) A gente não ganha aquela quantidade louca de jabás que blogueiras e Vogues da vida ganham, geralmente é uma sacolinha aqui e outra ali com esmaltes, cremes, acessórios e essas besteirinhas que as agencias estão representando, tanto pra divulgar os produtos quanto agradecer pela presença. A única coisa que posso dizer que ganho mesmo é lingerie, taí uma coisa que nunca mais precisei comprar!

pressdays7O lado leve e apaixonante dos press days desse mês

Quando coloco fotos no Instagram ou mostro vídeos de press day no Snapchat falam “nossa, que emprego dos sonhos né” e eu só fico rindo porque QUEM ME DERA se meu trabalho se resumisse a isso! Obviamente não é todo dia que tem press day, às vezes passo semanas e mais semanas plantada no escritório mas é a vida – os dias em que tô nos eventos comendo docinhos vendo gente mais do que compensam todos aqueles em que tô sozinha no escritório e fico querendo morrer porque não vi outro ser humano o dia inteiro.

Sei que tenho sorte porque o emprego de muita gente só tem esse lado “ruim” (ou convenhamos, coisas muito piores), mas talvez o emprego dessa pessoa também pague bem, seja perto de casa, tenha espaço para crescer na empresa ou sei lá, ofereça outros benefícios. Acho que tudo são escolhas e não dá pra comparar, o importante é saber suas prioridades e batalhar pelo que quer.

No momento as minhas são experiência londrina no currículo, ter um visto e fazer contatos e meu trabalho atende muito bem a todas, o que não quer dizer que seria suficiente e “o emprego dos sonhos” pra outra pessoa. Se minha prioridade no momento fosse juntar dinheiro pra começar uma família, eu estaria 100% infeliz no meu emprego maravilhoso com Champagne, lingerie e viagem pra Colombia e matando por um emprego chato de escritório que pague bem sabe? ahahha

IMG_7793Press day da Triumph!

Eu comecei esse post pensando em mostrar o que vi nos press days de abril/maio mas achei melhor explicar de uma vez o que é que eu faço já que não teve nenhum post explicando como fui contratada. Então é isso, acho que falei tudo o que tinha pra falar do meu trabalho e entrei em divagações intermináveis pra variar #oops. Pra quem tiver dúvida sobre estágio em Londres, trabalho nessa área de jornalismo/RP ou qualquer coisa é só comentar que eu ajudo no que puder!

RELATED POSTS